Gazeta da Sanches
Pesquisa

Rosalina Gomes Leite da Silva__ Quem foi?
Por Maria Lopes (Professora), em 2012/04/291683 leram | 0 comentários | 213 gostam
Rosalina Gomes Leite da Silva(11.04.1879 - 30.04.1912)foi uma fervorosa republicana e livre pensadora, filha de Pedro Gomes Leite e Maria das Angustias, residiam na freguesia de S.Victor, em Braga.
O seu funeral realizou-se no dia 1 de Maio de 1912.
No passado, os Homens tomavam iniciativas e as Mulheres ou ficavam indiferentes ou seguiam atrás. Mas houve certamente Mulheres imprevisíveis e pioneiras.
A figura bracarense que causou a maior manifestação republicana, foi uma Mulher. Chamava-se Rosalina Gomes Leite da Silva, natural de Braga e em Braga enterrada.
Quem foi Rosalina da Silva?
Como todas as meninas do seu tempo recebeu uma rígida educação religiosa. Depois casou com um republicano e industrial portuense, Baltasar da Silva, e foi morar para o Porto. Misturou-se com os republicanos da Invicta e, através dela, houve sempre colaboração entre os republicanos das duas cidades.
Américo Cardoso, presidente dum clube republicano do Porto, recordava-se de ver Rosalina assistindo a comícios, conferências e lendo escritos livres. « Chegou a compreender que a monarquia dos adeantamentos era o Roubo, e a religião a Mentira. E então divorciou-se da educação que lhe tinham ministrado, abraçando as ideias da Liberdade, Igualdade e Fraternidade ».
Rosalina viu a implantação da República pela qual tinha lutado. Contudo, como a vida é madrasta, pouco depois adoecia. Os jornalistas não nos indicam a doença, apenas que foi uma "doença terrível que passados meses de atroz sofrimento a havia inexorável de ceifar". Possivelmente terá morrido vítima de tuberculose! Contudo, antes de exalar o último suspiro, Rosalina ainda teve forças para rogar ao marido "que desejava o enterro civil", embora soubesse que causaria murmúrios.
Américo Cardoso, o dirigente do grupo do Porto, Director e Editor do jornal "A Mulher Livre", diz-nos:" O funeral, que brilhou pela ausência de influências religiosas e mesmo de pessoas de família, foi muito concorrido, por todo o partido republicano de Braga, fazendo-se representar as principais entidades oficiais que quiseram prestar homenagem àquela que teve a primazia de romper com os preconceitos da antiga Roma portuguesa e coerente com os seus princípios religiosos se enterrou civilmente naquela cidade". Acrescenta que era uma « Fervorosa Republicana e Livre Pensadora,foi uma filha querida, uma esposa dedicada, uma mãe extremosa, um nobre carácter, e sobretudo uma alma bondosa, que deixou íntimas saudades naqueles que lhe conheciam as peregrinas virtudes de que era dotada ».
O jornal de Notícias do Norte diz-nos que o enterro de Rosalina foi o 1º enterro civil que Braga viu passar.
Rosalina faleceu a 30 de Abril de 1912 e o seu enterro fez-se no dia histórico do 1º de Maio. Esse enterro foi mais político que familiar, pois levou sobre o caixão a bandeira nacional.
No Centenário da morte daquela que foi em vida uma fervorosa republicana e livre pensadora, D.Rosalina Gomes Leite da Silva, natural desta cidade, e em cuja homenagem o Agrupamento de Escolas Dr.Francisco Sanches participa, esta é a prova de que não a esquecemos.
E bem-haja a todos pela iniciativa.
 


Comentários

Escreva o seu Comentário
 




Top Artigos: Amor de Mãe