Gazeta da Sanches
Pesquisa

A Viagem da Gotinha
Por Maria Machado (Professora), em 2012/03/05929 leram | 0 comentários | 245 gostam
A seca já vai longa e a falta de água começa a preocupar a população portuguesa. Em certas regiões do globo a falta de água está na origem da morte de milhares e milhares de pessoas, sendo que muitas são crianças.
A seca já vai longa e a falta de água começa a preocupar a população portuguesa. Em certas regiões do globo a falta de água está na origem da morte de milhares e milhares de pessoas, sendo que muitas são crianças.
O homem não tem vindo a respeitar a Natureza, poluindo constantemente os recursos hídricos de uma forma constante e absurda. O resultado está à vista...


Os versos que seguem fiz para a Margarida, a minha querida filha, que me perguntou se a água do mar era salgada por lá ter o bacalhau de molho!
Espero que ela e todos voçês que aqui andam na escola, em tempo de desenvolver competências e valores, cresçam descobrindo que na Natureza tudo tem uma razão de ser e se esforçe por defender o seu equlíbrio e harmonia.


A viagem da gotinha




Eu era uma gotinha
Presa a uma nuvem de algodão.
Quando a nuvem se furou
Deixou-me cair no chão.


Fiquei muito aflita,
Sem saber o que fazer.
Encontrei outras gotinhas
Que ali passavam a correr.


Perguntei-lhes onde iam,
Começaram a sorrir!
"Vamos para a nascente!
Tu também queres vir?"


E assim todas juntinhas,
Por entre cascalhos e mata,
Surgimos fonte de vida,
Água pura na cascata.


De poça em poça caí,
Lavando os seixos de cor.
Vou arrantando os sais,
Que me oferecem o sabor.


Olho em volta de mansinho
Começo-me a animar...
Já somos um ribeirinho
Que corre para o mar.


Como gotinha de água
Tranquila e transparente
Lá fui descendo a encosta,
Matando a sede à gente.


Até que cheguei à foz,
Onde o rio se junta ao mar.
Mergulhei nas suas ondas
Para os peixinhos saudar.


A gotinha, tão doce e tão terna,
A todos os peixinhos beijava..
Qando sentiu o calor do sol
Que para cima a chamava.


Pela água acima subiu
Como se barbatanas e asas ganhasse
A caminho de uma nuvem branquinha
Que nos seus braços a guardasse.


Assim respondeu ao sol
Cheia de graciosidade.
É a história da gotinha
Que desafiou a gravidade!

Maria do Sameiro Machado


Comentários

Escreva o seu Comentário
 




Top Artigos: Amor de Mãe